Site Overlay

Urantia

“O Livro de URÂNTIA” é composto por 197 documentos, que se diz terem sido entregues entre 1928 e 1934 a um grupo de 70 pessoas, em ChicagoIllinois, Estados Unidos. O modo pelo qual os escritos foram materializados ainda não foi plenamente explicado e dificilmente o será. Foi lançado em 12/outubro/1955, com 2097 páginas, tendo sido traduzido para várias línguas.                                                                               (Fonte: Wikipedia)
Esta é uma leitura indispensável para os “Buscadores” e aqui será feito um resumo sucinto de cada uma das suas quatro partes, com a transcrição de pequenos trechos do “O Livro de URÂNTIA”
   “O nosso intuito é expandir a consciência cósmica e elevar a percepção                 espiritual” (Introdução do Livro de Urântia, pág. 1)

                                                        Parte I

                                 O Universo Central e os Superuniversos

– O Universo Central de Havona, onde está a Ilha do Paraíso, é a morada do Deus Eterno.

“O Paraíso é a gigantesca Ilha-núcleo que permanece em absoluta estabilidade e imóvel no coração mesmo do magnífico universo eterno. Essa família planetária central é chamada de Havona e está extremamente distante do universo local de Nébadon. Tem dimensões enormes, uma massa quase inacreditável e consiste de um bilhão de esferas de beleza inimaginável, … está, realmente, bem além do alcance de compreensão da mente humana” (pág. 152)

O Universo Central é composto de sete (7) Superuniversos físicos, entre eles o 7º Superuniverso Orvônton, no qual está inserido o nosso Universo Local Nébadon.  

“Praticamente todos os reinos estelares, visíveis a olho nu de Urântia, pertencem à sétima parte do grande universo, o superuniverso de Orvônton. O vasto sistema estelar da Via Láctea representa o núcleo central de Orvônton” (pág. 167)

A capital do superuniverso Orvônton é Uversa. Esta é a sede-central espiritual e administrativa de aproximadamente um bilhão de mundos habitados ou habitáveis.

“Cada superuniverso é presidido por três Anciões dos Dias. … têm a assistência direta de um corpo de um bilhão de Perfeccionadores da Sabedoria” (pág. 178) 

                                            Resumidamente, temos:
 > Universo Central (morada do Deus Eterno, na Ilha do Paraíso-Havona),
> Orvônton ( 7º superuniverso), capital Uversa
> Nébadon  (universo local), capital Sálvington
> Sistema Local (Satânia, capital Jerusém)
> Urântia (planeta Terra).

                                                            Parte II
                                                      O Universo Local
    O Universo Local de Nébadon é criação de Michael, Filho do Pai Universal. 

O Pai Universal não é o criador pessoal do Universo Local de Nébadon; o universo, no qual viveis, é criação do seu Filho Michael” (pág.24)  

    O nosso Universo Local Nébadon é uma das mais recentes criações, dentro do 7º Superniverso Orvônton. Em Nébadon temos o Sistema de Satânia, cuja capital Jerusém está na Constelação Norlatiadeque. Satânia era governada por Lúcifer e Urântia por Caligástia, que se rebelaram contra os Governantes do Universo. Satã foi o enviado de Lúcifer para Urântia.

“Desde a chegada do Príncipe Caligástia, a civilização planetária progrediu de um modo bastante normal por quase trezentos mil anos…O Príncipe de Urântia ingressou nas trevas na época da rebelião de Lúcifer, precipitando assim, uma longa confusão no planeta” (pág.752)

A evolução e desenvolvimento humano na Terra, apesar da rebelião de Lúcifer e pelo erro de Adão e Eva, não foi prejudicada.

“A decadência cultural e a pobreza espiritual, resultantes da desgraça de Caligástia e da confusão social consequente, pouco efeito tiveram sobre o status físico ou biológico dos povos de Urântia” (pág. 821) 

“Ele (Caligástia) participou das vicissitudes inevitáveis da isolada Urântia até o tempo de Adão e Eva no planeta, e contribuiu em parte, para o fracasso de elevar as raças mortais por meio de infusão do sangue vital da nova raça, a violeta – composta de descendentes diretos de Adão e Eva” (pág. 753) 

 “E esse rebelde do reino (Calgástia ), agora despojado de todo o poder de ser nocivo aos seus anteriores súditos, aguarda o julgamento final, a ser feito pelos Anciães dos Dias de Uversa (sede-central do superuniverso de Orvônton); julgamento de todos aqueles que participaram da rebelião de Lúcifer” (pág.753)

                                                          Parte III
                                                A História de Urântia
                                           A Terra e Lua em formação.

“…quando enormes corpos espaciais foram captados pela Terra (dois bilhões de anos)” …Há um bilhão e meio de anos a Terra possuía dois terços do seu tamanho atual, enquanto a Lua estava próxima da massa que hoje apresenta”. (pág. 659)

O começo do planeta.

“Há um bilhão de anos, deu-se o começo efetivo da história de Urântia. O planeta havia atingido aproximadamente o seu tamanho atual, E, por volta dessa época, foi colocado nos registros físicos de Nébadon (nosso Universo Local) e lhe foi dado o seu nome Urântia“ (pág. 660)

A chegada do primeiro grupo de exploração de Satânia (Sistema Local de Nébadon).

“Há 900 milhões de anos, Urântia presenciou a chegada do primeiro grupo de exploração de Satânia, enviado de Jersusém (capital de Satânia), a fim de examinar o planeta e elaborar um relatório sobre a sua adaptabilidade para transformar-se numa estação de vida experimental” (pág. 661)

O início da vida animal.

“Há 450 milhões de anos, aconteceu a transição da vida vegetal para a vida animal. Essa metamorfose teve lugar nas águas rasas das lagoas e das baías tropicais, abrigadas ao longo das linhas costeiras extensas dos continentes que se separavam” (pág. 669) 

 Os peixes, os vertebrados e a pré-evolução humana.

“Há 250 milhões de anos, testemunhou-se o aparecimento da família dos peixes e vertebrados, um dos acontecimentos mais importantes de toda a pré-evolução humana” (pág. 670)

A extinção dos dinossauros.

“Há 120 milhões de anos, começou uma nova fase da idade dos répteis. O grande acontecimento desse período foi a evolução e declínio dos dinossauros…Essas criaturas pesadas tornaram-se menos ativas e fortes quando cresceram demais e exigiam uma quantidade enorme de alimentos, e a terra estava tão infestada por eles que literalmente morreram de fome e tornaram-se extintos – faltava-lhes inteligência para enfrentar a situação” (pág. 687)    

Os primeiros seres humanos primitivos.

“Há um milhão de anos, Urântia foi registrada como um mundo habitado. Uma mutação, na linhagem dos primatas em progressão, subitamente produziu dois seres humanos primitivos, os ancestrais verdadeiros da humanidade” (pág. 700) 

As seis raças de cores.

“há 500 mil anos, durante o quinto avanço do gelo, um novo desenvolvimento acelerou o curso da evolução humana. Subitamente, e em uma geração, as seis raças de cores surgiram, por mutação da linhagem humana aborígine. Essa é uma data duplamente importante, já que assinala também a chegada do Príncipe Planetário” (pág. 701) 

Os primeiros seres humanos.

“E então, depois de quase novecentas gerações de desenvolvimento, cobrindo cerca de vinte e um mil anos, desde a origem dos mamíferos precursores, os primatas, subitamente geraram duas criaturas notáveis, os primeiros seres humanos verdadeiros” (pág. 707) 

Reconhecimento de Urântia como planeta de residência humana.

“Urântia foi formalmente reconhecida como um planeta de residência humana no Universo Local de Nébadon, exatamente, 993.408 anos atrás (a contar do ano 1934 d.C.). A evolução biológica havia, uma vez mais, alcançado níveis humanos de dignidade de vontade; e, pois, o homem havia chegado ao planeta 606 de Satânia” (Pág. 710) 

A Parte III – A História de Urântia aborda ainda, entre outros tópicos: A Primeira família humana, A rebelião planetária, Adão e Eva, Os ensinamentos de Melquisedeque, O Ser Supremo, As Auto-ortorgas de Cristo Michael. 

                                                          Parte IV
                                      A Vida e os Ensinamentos de Jesus
    Cristo Michael – Jesus, foi o criador do Universo Local de Nébadon e depois da rebelião de Lúcider encarnou em Urântia para elevar espiritualmente a raça humana.

“Apenas uma vez, na sua carreira sétupla de Filho auto-outorgado, um Michael do Paraíso nasce de uma mulher, tal como ficou para vós feito o registro do menino de Belém. Por apenas uma vez, ele vive e morre como um membro da mais baixa ordem de criaturas volitivas evolucionárias” (pág.239)  

“…Michael experimentaria, nessa encarnação, não apenas a natureza do homem mortal, mas também a vontade do Pai de Todos, no Paraíso”(pág.1325)

“Agora, estás na iminência de ir para Urântia, o planeta desordenado e turbulento da tua escolha, não como um mortal já plenamente desenvolvido, mas, sim. Como um recém-nascido indefeso” (pág.1325)

“Para o ingresso na tua auto-outorga de Urântia, escolheste voluntariamente despojar-se de todo apoio extraplanetário e de toda assistência que te pudesse ser dada” (pág.1325)

O Filho do Homem e Príncipe Planetário de Urântia – Jesus, a traição de Lúcifer e Caligástia e o erro de Adão e Eva.

“Eu aconselho-te, depois que estiveres suficientemente autoconsciente da tua identidade divina, que assumas a tarefa adicional de dar por finda, tecnicamente a rebelião de Lúcifer, no Sistema de Satânia; e que faças tudo isso como o Filho do Homem, … Eu consideraria um ápice adequado, à tua auto-outorga mortal, se retornasses a nós, como o Filho do Homem e Príncipe Planetário de Urântia, tanto quanto Filho de Deus e soberano supremo do teu universo… faças todas e quaisquer coisas consistentes com o propósito da tua outorga e que possam servir aos seres de Urântia, como compensação pelo sofrimento e confusão produzidos neste mundo, pela traição de Caligástia e a subsequente falta Adâmica (Adão e Eva)”              (pág. 1327) 

 

As possibilidades transcendestes do Ser Humano conhecedor de Deus.

“Demonstra, na tua curta vida na carne, de forma humana nunca antes vista em toda Nébadon, as possibilidades transcendentes daquilo que pode ser alcançado por um ser humano conhecedor de Deus, durante a curta carreira na existência mortal” (pág.1328/1329)   

O propósito supremo da auto-outorga e o milagre da vinda de um Filho Divino.

“Nunca percais de vista o fato de que o propósito supremo da auto-outorga de Michael foi de acentuar e engrandecer a revelação de DEUS…O surgimento, no vosso mundo, de um Filho Divino, por processos aparentemente naturais, é visto por nós como um milagre – o efeito de leis universais que estão além da nossa compreensão. Jesus de Nazaré foi uma pessoa miraculosa. Nessa experiência extraordinária, e por meio dela, Deus, o Pai, escolheu manifestar-se a Si próprio, como Ele sempre faz – de modo habitual – , e pela via normal natural e confiável da ação divina” (pág.1331)   

O Livro de Urântia, descreve com riqueza de detalhes, como nunca foi feito antes, toda a trajetória e ensinamentos de Jesus, desde o seu nascimento, passando pela primeira infância, segunda infância, adolescência, vida adulta, ressureição e as aparições aos Apóstolos.     
O Livro de Urântia está disponível no link abaixo:

 https://www.urantia.org/pt/o-livro-de-urantia/faca-o-download-do-texto-de-o-livro-de-urantia